domingo, 6 de abril de 2014















A verdade é que a gente perde tempo quando insiste no que sabemos que não têm jeito, esforço gasto tentando ser o melhor que podemos sem retribuição, alguns caminhos por mais que tenham sido idealizados não farão parte da trajetória das nossas vidas. É preciso força pra abrir mão de certos desejos. Às vezes é necessário deixar de lado aquilo que só desgasta nossa energia e não nos traz real felicidade. Como em um lampejo que acredito ser deus iluminando minhas orações eu percebi que ainda que esse sentimento existisse dentro de mim inabalável e imenso eu poderia guardá-lo em algum cantinho aqui dentro que não se fizesse sempre presente e continuar meu caminho, abraçar novos sonhos, ter de voltar a minha alegria que sempre habitou meu peito por coisas boas e leves. Com o tempo eu sei que esse sentimento vai embora, mas isso não me assusta como antes, eu apesar de ser uma eterna apaixonada por palavras também sou da turma dos que acham que atitude supera qualquer palavra bonita. Com essa certeza no peito caminho adiante, satisfeita com quem sou e com uma vontade imensa de ser melhor. Na vida há sempre duas escolhas e eu escolhi ser feliz e acreditar que vida sempre pode me surpreender. 


2 comentários:

marcelia disse...

Nossa que lindas palavras que você escreveu flor,a palavras que mais me tocou "A verdade é que a gente perde tempo quando insiste no que sabemos que não têm jeito, esforço gasto tentando ser o melhor que podemos sem retribuição" quando vejo que meu esforço é em vão é isso que penso, mas vou até meus limites.
Olha tem post de um aparelho que dá CHOQUE no rosto e tem vídeo "SEU BLOG NO MEU VÍDEO" onde divulguei 11 blogueiras e pretendo fazer novamente mais para frente e tem SORTEIO de tablet e make depois vou fazer de FILMADORA me visita flor. magrafelizpensa.blogspot.com e www.youtube.com/user/marcmarify

Adriano Canere disse...

Lindo, gostei mesmo! A fala é um instrumento eficaz para que a comunicação se estabeleça. No entanto, as emoções que nos fazem perder a voz, é que nos definem.